Connect with us

Notícias Corporativas

Altos salários atraem jovens ao setor de TI

Published

on

Dados de um levantamento divulgado no final do ano passado pela Revelo, plataforma especializada no segmento de Inteligência Artificial, mostraram que 35% dos profissionais da plataforma pertencem à Geração Z, que engloba as pessoas nascidas entre 1995 e 2010, sendo a maioria entre aqueles que responderam à pesquisa. Mais de 900 pessoas foram entrevistadas.

Ainda segundo o estudo, 72,6% dos profissionais já estão empregados, a carreira de desenvolvedor é a mais buscada (36%) e, em comparação com dados de 2020, houve alta de 55,5% na média salarial dos profissionais de TI. um salto de R$ 6,020,41 para R$ 9,364,41.

Números de outros países ajudam a perceber a tendência de destaque para o setor e a busca pelos mais jovens. Por exemplo, informações da Associação Nacional de Faculdades e Empregadores dos EUA indicam que o salário inicial de um profissional de ciência da educação girava em torno de US$ 6 mil.

A alta demanda por profissionais especializados, que gerou a busca de profissionais recém-formados ou mesmo em fase final de formação, também é destaque nos EUA. O CEO da plataforma de recrutamento Hired afirma que o salário para o primeiro ano na área de tecnologia ultrapassa os US$ 9 mil.

Advertisement

Panorama da TI

Informações do Relatório Insights Report, publicado pela Assespro-PR em agosto do ano passado, dão conta de que há por volta de 275 mil empresas especializadas em TI em atividade no Brasil, demonstrando o vigor do segmento.

Especialista e CEO da Pasquali Solution, Leonardo Pasquali, afirma que apesar de a programação de softwares ser cada vez mais popular no imaginário de jovens profissionais e da sociedade como um todo, ela permanece sendo complexa e demandando que se estude bastante para se ingressar na área.

Para o profissional, a base de qualquer tipo de programação, como basicamente qualquer linguagem, envolve estudar lógica de programação e principalmente, gostar de fazer isso. “Acredito que isso acabe afastando um pouco o interesse da maior parte dos jovens”, afirma.

Pasquali prossegue: “O mundo gira em torno do digital. No passado recente grandes empresas começaram suas transformações digitais, visando atender processos internos de negócio como processamento de dados e gestão interna”. E complementa: “Atualmente, tudo relacionado ao negócio e à própria oferta de produtos e serviços muitas vezes só se dá através de plataformas digitais como aplicativos web ou mobile”.

Advertisement

Demanda e escassez profissional

Além disso, o estudo da Assespro-PR indicou, em dezembro de 2022, que 632 mil pessoas estavam empregadas em áreas relacionadas à tecnologia no Brasil. Apesar destes números, a consultoria empresarial McKinsey estima que haverá cerca de 1 milhão de profissionais a menos do que vagas disponíveis no Brasil até 2030.

De acordo com Leonardo Pasquali, é exatamente a demanda altíssima de profissionais qualificados que molda a necessidade e que faz com que os salários se inflacionem demais. “Veja, é como um leilão – quem paga mais, acaba contratando o profissional especializado”, comenta.

Por fim, o CEO da Pasquali Solution, empresa especializada no outsourcing de profissionais de TI, em especial Desenvolvedores de Software, pondera: Para as empresas, não é incomum que projetos de software, dada sua importância estratégica, contem com orçamentos altíssimos, portanto, pagar muito a um profissional não será problema”.

Segundo Leonardo, tais empresas entendem que teriam problemas muito maiores caso não entregassem os projetos a serem desenvolvidos. O relatório da McKinsey indica, ainda, que o Brasil forma um profissional de TI para onze advogados ou administradores. Em comparação, na Índia, a proporção é de um para três. Esta desproporção pode ajudar a explicar os salários cada vez mais em alta no setor.

Advertisement

Para mais informações, basta acessar: www.pasqualisolution.com.br